Secretaria Municipal de Infraestrutura

home >

História do Saneamento em Florianópolis

 

INTRODUÇÃO

 

 

No início do século XX, o Município de Florianópolis vivia uma situação privilegiada em relação aos serviços de saneamento, que o colocava na vanguarda em comparação a importantes centros urbanos nacionais e internacionais. Entre 1910 e 1916, foram implantados os sistemas de abastecimento de água, de coleta e tratamento dos esgotos e o forno de incineração do lixo.

 

Com o passar do tempo, a cidade foi perdendo essa condição. Em algumas décadas, experimentou um intenso crescimento, que se configurou desordenado e não foi acompanhado, na mesma proporção, dos devidos investimentos em serviços públicos, sobretudo na área de saneamento básico.
Os serviços de saneamento sempre se apresentaram deficitários, principalmente no âmbito do esgotamento sanitário e drenagem, visto que o abastecimento de água e a coleta de lixo contaram com certa regularidade de investimentos, ostentando índices de cobertura mais favoráveis.

 

Atualmente vivenciamos uma situação no mínimo contraditória. Como no início da antiga Desterro, continuamos jogando nossos dejetos no mar. Porém, diferentemente daquela época, o mar é hoje  palco de importantes atividades. O  turismo, a maricultura, as atividades esportivas e de lazer, bem como os aspectos relativos à saúde pública e ao meio ambiente, revestem de grande importância o desafio na busca da mudança dessa realidade. 

 

Os significativos investimentos que vêm ocorrendo desde os anos 80 constituem importante passo na consolidação desse objetivo. Entretanto, há que se garantir, também, a plena e adequada utilização dos serviços por parte da população, assim como dar um caráter mais preventivo  à questão, tratando-a com maior ênfase no âmbito do planejamento urbano. 

 

No link abaixo está disponível a monografia produzida pelos engenheiros sanitaristas Elson Bertoldo dos Passos e Flavia Vieira Guimarães Ourofino.