Secretaria Municipal de Infraestrutura

home >

Projeto Maciço do Morro da Cruz

Dados sobre o projeto

 

Objetivos Gerais:

Melhorar as condições de vida dos moradores do MACIÇO DO MORRO DA CRUZ, a partir de investimentos em infra-estrutura e serviços sociais.

 

Localização: Região central da cidade.

Área total: 2.151.000 m²

Área Ocupada: 657.000 m²

Área do Parque: 1.494.000 m²

Beneficiários: 16 comunidades

Famílas (estimado): 5.677 famílias

População (estimado): 22.566 habitantes

 

1- Mariquinha                            9- Rua Ângelo Laporta

2- Monte Serrat                         10- Rua José Boiteux

3- Tico Tico                               11- Rua Laudelina da Cruz

4- Morro do 25                           12- Vila Santa Vitória

5- Morro do Horácio                    13- Vila Santa Clara

6- Morro da Penitenciária             14- Serrinha

7- Morro da Queimada e Jagatá   15- Alto da Caeira

8 - Morro do Céu                         16 - Mocotó

 

Morro da Queimada e Jagatá

Ações Previstas:

    * obras de infra-estrutura básica;

    * transporte vertical;

    * habitação (sistema viário e risco);

    * módulo hidráulico;

    * trabalho social;

    * regularização fundiária;

    * implantação do Parque do Maciço;

    * recuperação ambiental;

    * programa de coleta e disposição de resíduos sólidos.

 

Obras Propostas:

1. Terraplanagem: Visando o plano de reurbanização das áreas de interesse social, serão propostas vias padronizadas que atendam as necessidades locais regularizando o acesso as residências. Sempre que for necessário as residências deverão ser ordenadas ou relocadas de forma que atendam ao interesse de comunidade.

 

2. Pavimentação:

 

    2.1 Via principal: Pista com 6 metros e com passeios de 1 metro de cada lado. Propomos a sua implantação com lajotas sextavadas, meio-fio simples e passeios cimentados.

 

    2.2 Via secundária: Pista com 3 metros e passeio em apenas um dos lados da pista com dimensões de 1 metro. Também revestida com lajotas sextavadas, meio-fio e passeio cimentado.

 

    2.3 Rampas: Sempre que a declividade longitudinal permitir, serão executadas rampas de acesso nas vias estreitas, onde o trânsito de automóveis não é permitido. Foram padronizadas rampas com 1, 1,5 e 2 metros de largura.

 

    2.4 Escadarias: As escadarias constituem a última forma de estrutura viária. São utilizadas onde a declividade acentuada da via não permite a instalação de rampas. Projetadas conforme preconiza a legislação em vigor, deverão possuir patamares adequados e corrimão para a segurança dos transeuntes.

 

3. Drenagem Pluvial: O sistema de escoamento das águas das chuvas será instalado ao longo das vias, rampas e escadarias. Nas vias principais e secundárias, o sistema de drenagem pluvial deverá acontecer pela sarjeta, até atingir o ponto mais baixo, onde será instalado caixas coletoras e pista para o deságüe nos talvegues existentes. Nas rampas, o escoamento de água acontecerá através de calhas coletoras, localizadas na borda. Nas escadarias sempre que for possível serão lançadas canaletas coletoras na parte central das mesmas, devidamente instaladas de maneira a dissipação de energia.

 

4. Abastecimento de água: Está previsto para atendimento destas localidades, principalmente nos pontos mais altos, a distribuição de água através do booster (sistema de bombeamento). Já nas áreas mais abaixo, o sistema de distribuição existente funcionaria por gravidade através do reservatório. A implantação do novo sistema de distribuição de água proporcionará um melhor atendimento e evitará a proliferação de ligações irregulares e clandestinas.

 

5. Sistema coletor de esgoto sanitário: A coleta dos efluentes sanitários se dará através de tubulações de PVC, sempre que possível enterrada, poços de visita para manutenção e limpeza, e ligações domiciliares. Tendo em vista as dificuladades topográficas nas áreas, a instalação do sistema coletor de esgotos deverá ser locada de forma a proporcionar o maior número de ligações possíveis.

 

6. Rede de distribuição de energia elétrica: Tendo por base a nova geometria do sistema viário, deverão ser relocados quando necessários, as estruturas da rede de distribuição da energia elétrica. Onde o sistema atual não oferecer capacidade de demanda, será previsto ampliação do mesmo.

 

7. Contenção de encostas: Estão previstos muros de contenção para situações de risco, onde taludes e encostas proporcionam risco de instabilidade dos terrenos e perigo de deslizamentos.

 

8. Habitação: Serão construídas habitações em assentamentos precários e onde houver necessidade de remoção de residências, seja em função da alteração do sistema viário ou por estarem em área de risco. Existem 12 modelos unifamiliares em estudo, para diferentes necessidades familiares, e unidades previstas para portadores de deficiência física.

 

9. Módulo Hidráulico: Serão contruídos módulos hidráulicos junto às habitações sem instalações hidro-sanitárias ou ainda onde estas se encontrarem em estado precário.

 

10. Transporte Vertical: Ascensores (funiculares) - Previstos para as áreas onde as escadarias são mais críticas: Rua Ângelo Laporta, Rua José Boiteaux, Vila Santa Clara, Rua Laurentino da Cruz, Rua 13 de Maio e Mocotó. É uma alternativa que pode conviver com o sistema atual, prevê acesso a áreas onde não é possível o acesso através de ônibus ou mesmo veículos. São previstos pontos de conexão entre o sistema de ascensores e o sistema de ônibus de linha. Substitui ou ameniza o uso diário das escadarias.

 

11. Criação do Parque do Maciço.